Estado do ceará tem, escolas públicas com nível de países ricos

As escolas de Sobral, cidade com 200 mil habitantes, a 230 km de Fortaleza.
Tem 31 colégios com resultados divulgados na última avaliação do governo federal, o Ideb, tiveram notas entre 6,9 e 9 na primeira etapa do ensino fundamental, em escala de 0 a 10.
A média dos países desenvolvidos estaria em 6, algo equivalente à educação no Reino Unido.
A Massilon Sabóia, a mais distante do centro de Sobral, teve 8. A avaliação considera notas em português e matemática e taxa de estudantes aprovados.
Em outra avaliação, divulgada neste mês, o município apareceu como o melhor do país em oportunidade de educação, que considera resultados das provas, percentual de estudantes matriculados e condições das redes (como escolaridade dos professores e experiência dos diretores).
Para chegar a esses resultados, o município implementou política calcada em definição clara do que deve ser ensinado dia a dia, bonificação por resultado e autonomia a diretores (escolhidos em concursos abertos, até para quem é de fora do Estado).

As escolas são bem conservadas, mas sem luxo. A base das aulas é o tradicional lousas-carteiras-apostilas-livros.
Os estudantes passam por uma bateria de avaliações.
Além das provas aplicadas pelos próprios colégios, que são no mínimo mensais, são feitas semestralmente avaliações do município, com equipes de fora do colégio. Também há os exames dos governos estadual e federal.
O sistema visa, de um lado, indicar os alunos que estão com dificuldades.
Estes passam a frequentar atividades fora do horário normal de aula, até entrarem no ritmo.
Com remuneração extra para professores e diretores que chega ao valor de R$ 500 mensais e prêmios pagos uma vez ao ano.
“A gratificação por desempenho é o que alimenta a vontade de continuar melhorando”, afirma o diretor Osmarino Portela Ribeiro, da escola Elpídio Ribeiro da Silva, que teve o melhor desempenho do município (nota 9).
No colégio, os estudantes do 5º ano do fundamental já chegaram ao desempenho esperado para os do 9º ano em português e matemática.
Fonte: Folha

Deixe uma resposta